UM TRIBUTO AO SENHOR

Chegamos ao final de mais um ano e estamos comemorando o décimo aniversário da nossa amada igreja. É um tempo oportuno para reconhecermos que o nosso Deus tem sido muito bom para conosco e tem nos abençoado com toda sorte de bênçãos. Pela graça do Senhor, superamos as dificuldades e permanecemos firmes na verdade e esperando o melhor de Deus.

No texto que se encontra no Salmo 126:1-6, podemos perceber claramente a alegria do povo de Israel quando voltou do cativeiro babilônico e pôde habitar novamente na sua pátria. Foi um tempo de muitas expectativas e satisfação por estar de volta à sua terra. Deus cumprira cabalmente as suas promessas ao seu povo, o qual apresentava-lhe um tributo de gratidão.

Olhar para o passado com gratidão e louvor

O povo de Israel estava vivenciando uma grande alegria. Parecia que era apenas um sonho e não um momento real, Salmo 126:1-3. O riso dominou as emoções de cada um que tinha voltado do cativeiro: “… Grandes coisas fez o Senhor por nós, e, por isso, estamos alegres”.

Devemos sempre olhar para o passado com gratidão e também com louvor ao nosso Deus, pois Ele tem sido fiel para conosco durante a nossa jornada neste mundo. A 10ª. IPR de Maringá está completando dez anos de existência com grandes conquistas e vitórias. Aleluia!

Olhar para o presente com compromisso e dedicação

A nação judaica estava vivendo um novo momento de sua história, Salmo 126:4-5. Livres do cativeiro, os judeus desejavam experimentar novamente a abundância que tiveram num passado distante: “Restaura, Senhor, a nossa sorte, como as torrentes do Neguebe …”.

Precisamos valorizar sobremaneira o que o Senhor tem nos concedido e realizar o nosso trabalho com muita dedicação, demonstrando sempre um grande compromisso com a missão que nos foi outorgada pelo nosso Deus. Vamos fazer algo relevante neste tempo para Deus.

Olhar para o futuro com fé e esperança

Os israelitas sabiam das muitas dificuldades que teriam pela frente, contudo, manifestavam uma grande disposição para semear novamente na terra que o Senhor lhes devolvera: “Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes”.

Podemos ter a certeza de que o Senhor vai cuidar do nosso futuro e nos fazer prosperar em nossa jornada. Necessitamos ter muita fé e esperança em nosso Deus, pois Ele é poderoso para nos abençoar. Vamos esperar o melhor de Deus que está chegando em nossa igreja.

Devemos olhar para o passado com gratidão e louvor ao nosso Deus; precisamos olhar para o presente com compromisso e dedicação e podemos olhar para o futuro com fé e esperança.

Pr. Advanir Alves Ferreira

Secretaria - 10ª IPR de Maringá

JESUS CRISTO, A NOSSA GRANDE ESPERANÇA

Vivemos num mundo pecaminoso e corrupto. Somos tentados a ficar desanimados diante de tantas notícias ruins que tomamos conhecimento, pelos meios de comunicação. Muitos têm pensado que não há esperança para humanidade. No entanto, quando lemos e meditamos na Palavra de Deus, passamos a acreditar que Jesus Cristo é a grande esperança do ser humano.

Podemos perceber essa verdade no texto de Apocalipse 1:4-8. A revelação de Deus traz para o leitor da Bíblia algumas verdades gloriosas sobre Jesus Cristo, o nosso salvador. A Trindade Divina aparece em destaque no texto e o Senhor faz algumas referências profundas acerca do Redentor da humanidade, explicitando que Jesus Cristo é a nossa única e grande esperança.

É o Soberano que governa

Jesus veio ao mundo para sofrer por nós e pagar os nossos pecados. Ele é o Primogênito dos mortos, foi o primeiro a ressuscitar para nunca mais morrer. Ele é a fiel testemunha de Deus à humanidade caída e governa sobre todos os reis e nações do mundo, Apocalipse 1:5a.

Podemos confiar totalmente no governo e no cuidado do nosso Salvador para conosco. Não estamos à deriva. O Deus criador do universo está em todo lugar e guarda o seu povo do mal.

É o Redentor que liberta   

Jesus nos ama verdadeiramente e nos liberta de todo pecado que cometemos, purificando-nos pelo Seu Sangue vertido na Cruz do Calvário, Apocalipse 1:5b. Cristo demonstrou o seu imenso amor quando se sacrificou por pessoas pecadoras, com o objetivo de salvá-las da perdição.

Precisamos crer de todo o coração em nosso Salvador para alcançarmos o perdão e a libertação de nossos pecados. Em Cristo, tornamo-nos novas criaturas e pessoas renovadas.

É o Líder que capacita                                                                                   

Jesus capacita a Sua Igreja para servi-lo, Apocalipse 1:6. Cristo concede aos que aceitam a Sua Salvação o privilégio de reinar com Ele. Concede também aos seus discípulos o nobre trabalho sacerdotal, para interceder e abençoar a todos quantos necessitam do socorro divino.

Necessitamos buscar a capacitação do Senhor para realizarmos um serviço eficaz no Reino de Deus. Confiemos na capacitação que Jesus Cristo nos concede para o ministério eclesiástico.

É o Rei que voltará                                                                               

Jesus havia prometido no momento da Sua ascensão que voltaria a terra. Em Apocalipse 1:7-8, Ele confirma a promessa da Sua volta. Jesus arrebatará e conduzirá o seu povo para as Bodas do Cordeiro e depois voltará de forma visível e vitoriosa diante do olhar de todos os povos.

Devemos ter plena convicção da Sua volta e aguardá-lo com cautela e preparo, para subirmos com o Noivo para a festa celestial. Sejamos prudentes e fiéis em nossa vida cristã. Maranata!

Jesus Cristo, a nossa grande esperança, governa este mundo, liberta os pecadores, capacita os Seus servos e voltará para a Sua Igreja. Vamos viver com fidelidade e frutos para agradá-lo.

Pr.Advanir Alves Ferreira

Secretaria - 10ª IPR de Maringá

A COMUNHÃO COM CRISTO

Podemos desfrutar da comunhão com Jesus Cristo, a despeito da nossa fragilidade humana e atitudes desagradáveis diante de Deus. Necessitamos da presença do Senhor em nosso viver cotidiano. Somente conseguimos alcançar a satisfação interior quando experimentamos uma íntima comunhão com o nosso criador e redentor. A nossa alma anseia pela presença de Deus.

Nos textos que se encontram em Marcos 14:12-16 e 22-26, podemos meditar sobre a última páscoa e a instituição da Santa Ceia do Senhor. Jesus Cristo estava vivendo os seus últimos momentos na terra. Ele seria, após essa celebração, traído por Judas e julgado e condenado pelos líderes da nação judaica e pelas autoridades romanas. Era um momento de comunhão.

Seguindo o homem com cântaro de água

Os discípulos se oferecem para preparar a páscoa. Jesus envia dois deles com a recomendação de que na cidade seguissem “um homem trazendo um cântaro de água”, Marcos 14:13-14.

Este homem viria ao encontro deles e os conduziriam até o local onde comeriam a páscoa. Semelhantemente, devemos seguir o Espírito Santo, o qual tem a água viva que sacia a nossa sede espiritual e nos conduz a uma satisfatória comunhão com Jesus Cristo, o nosso Salvador.

Preparando a casa para a ceia

O Senhor já fez o que precisávamos para a nossa comunhão com Ele. Cabe a nós fazermos a nossa parte e prepararmo-nos para esse momento sublime: “E, saindo os seus discípulos, foram à cidade, e acharam como lhes tinha dito, e prepararam a páscoa”, Marcos 14:16.

Precisamos preparar a nossa vida para a íntima comunhão com o Senhor e também para o arrebatamento da igreja. Não podemos ser negligentes em nosso relacionamento com Deus.

Recebendo o sacrifício do Senhor

“E, comendo com eles, tomou Jesus pão, e, abençoando-o o partiu, e deu-lho, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo”, Marcos 14:22. A Ceia do Senhor é uma celebração dramática do evento da redenção. Jesus, voluntariamente, entregaria a sua vida por nós na cruz do calvário.

Podemos receber o perdão de nossos pecados pelo sacrifício de Jesus em nosso favor. Ele pagou um preço muito alto para nos perdoar e purificar de toda injustiça por nós praticada.

Vivenciando a Aliança com o Senhor

Jesus disse aos seus discípulos: Isto é o meu sangue, o sangue do Novo testamento, que por muitos é derramado”, Marcos 14:24. A morte de Jesus na cruz selou uma nova aliança entre Deus e nós. Jesus ofereceu a si próprio, como cordeiro imaculado de Deus, pelas nossas faltas.

Necessitamos valorizar sobremaneira o sacrifício de Jesus e a nova aliança oferecida por Ele a pecadores. Vivenciemos em toda a sua plenitude a aliança que temos com o nosso redentor.

Portanto, vamos buscar uma extraordinária comunhão com Cristo, seguindo o Espírito Santo, preparando a nossa casa, recebendo o sacrifício do Senhor e vivenciando a aliança com Deus.                                                         

                                                                      Pr. Advanir Alves Ferreira

Secretaria - 10ª IPR de Maringá

OS PAIS DA HUMANIDADE

No princípio, Deus criou os céus e a terra. Deus criou todas
coisas pelo seu próprio poder e formou a raça humana como coroa da sua criação.
O Senhor objetivava formar um povo que lhe obedecesse voluntariamente e
usufruísse de todos os benefícios que prepara para o ser humano. Deus tinha
como propósito formar uma geração de pessoas abençoadas por Ele. Podemos
observar a criação da humanidade em Gênesis 1:26-27 de uma forma totalmente
diferente dos demais seres criados na face da terra. Deus fez o ser humano à
sua imagem e semelhança e lhe concedeu uma capacidade muito superior às demais
criaturas. O nosso Deus criou macho e fêmea, com o objetivo de multiplicarem e
povoarem toda a face da terra.

Criados para governar        

Dominar sobre todas as outras criaturas é uma atribuição outorgada por Deus ao ser humano, Gênesis 1:28. Deus delegou um pouco da sua autoridade à raça humana, esperando que esta assumisse a responsabilidade sobre o meio ambiente e as outras criaturas que vivem na terra.

Necessitamos valorizar o grande privilégio que o Senhor nos concedeu e cumprir a nossa nobre função com dedicação e zelo para com este planeta. Não sejamos negligentes neste trabalho.

Criados para a felicidade    

Deus presenteou Adão e Eva com o matrimônio, Gênesis 2:21-25. Eles foram criados perfeitos um para o outro. O casamento foi instituído por Deus para proporcionar um nível singular de relacionamento entre duas pessoas. O Senhor visava conceder ao casal grande felicidade.

Precisamos viver a vida conjugal com muito prazer, harmonia e alegria, sem ter nada do que se envergonhar diante do outro. Aproveitemos esse privilégio com grande satisfação e fidelidade.

Criados para comunhão

Gênesis 3:8-9 nos mostram o desejo de Deus de relacionar-se conosco. No final de cada dia, Deus descia e passeava no Jardim do Éden com objetivo de ter comunhão com o ser humano que criara. Infelizmente, o pecado quebrou esse relacionamento entre Deus e a humanidade.

Podemos renovar o nosso relacionamento com Deus por meio de Jesus Cristo, que veio ao mundo e pagou o alto preço para a nossa religação com Criador. Louvado seja o nosso Deus.     

Criados para a redenção     

 Deus revelou o seu plano de redenção da humanidade em Gênesis 3:15. A Frase “tu lhe ferirás o calcanhar” refere-se às repetidas tentativas de Satanás de derrotar a Cristo. A frase “esta te ferirá a cabeça” prenuncia a vitória de Cristo sobre a morte e sobre toda a tentação maligna.

Devemos ter gratidão em nosso coração e glorificar constantemente ao nosso Redentor Jesus Cristo, em razão da grande salvação que Ele nos concedeu pela sua graça, amor e compaixão.

Vamos tomar posse de todos os benefícios que o nosso Deus tem outorgado ao seu povo. Apropriemos da liderança, felicidade, comunhão e redenção a nós concedidas gratuitamente.           

Pr. Advanir Alves Ferreira

Secretaria - 10ª IPR de Maringá

A GLÓRIA DO HOMEM

O ser humano tem a tendência de buscar três coisas que atraem a admiração dos outros: sabedoria, força e riqueza. A maioria das pessoas passa a vida procurando demonstrar a sua superioridade em relação às outras de seu convívio. Muitos não conseguem usufruir daquilo que possui, em razão de passar a maior parte do tempo buscando conseguir mais riquezas.

+

Secretaria - 10ª IPR de Maringá