Post Type

Vivemos um tempo de muita corrupção e pecado. Infelizmente, com os passar dos anos, as pessoas estão cada vez mais se envolvendo com falcatruas e toda sorte de práticas pecaminosas.

Nem mesmo o aumento substancial do número de pessoas convertidas ao evangelho tem mudado a situação caótica que estamos vivenciando neste novo milênio. Podemos ler e meditar em I Pedro 1:13-21, uma palavra exortativa do Senhor sobre a necessidade de vivermos em verdadeira santidade na sua presença. Deus nos fala de forma clara e incisiva de que não podemos nos amoldar às paixões pecaminosas que tínhamos antes da nossa conversão. Pelo contrário, devemos ter procedimentos característicos de cristão.

Sobriedade mental

O retorno iminente de Cristo deve nos motivar a viver para ele. Isto significa estar mentalmente alerta, com disciplina e determinação,aguardando a sua volta, I Pe.1:13.  Precisamos ter sobriedade em nosso viver cotidiano, para que possamos nos relacionar bem com os nossos familiares, amigos, colegas de trabalho, etc. Sem o equilíbrio mental, não conseguiremos ter a lucidez necessária para enfrentar as dificuldades inerentes à vida.

Pureza moral

O Deus criador dos céus e da terra é santo. Ele estabeleceu o padrão da moralidade, I Pe.1:14. Ele é um Deus justo que se importa pessoalmente com cada um de seus fiéis seguidores. Não podemos seguir o padrão moral do mundo. Devemos priorizar uma vida pura na presença de nosso Deus, com o objetivo de cumprir os seus mandamentos e agradá-lo com as nossas atitudes e procedimentos. Sem pureza moral não viveremos em comunhão com o Senhor.

Separação pessoal

Pedro diz que devemos ser santos em tudo que fizermos, como santo é o nosso Deus, I Pe.1:15-16. Santidade significa ser totalmente dedicado a Deus e separado de todo pecado. Necessitamos ter consciência de que Jesus, o nosso salvador, pagou um alto preço para nos redimir da vida pecaminosa. Portanto, devemos fugir das paixões mundanas nas quais estávamos aprisionados antes do Espírito Santo ter efetuada a nossa libertação e salvação.

Temor espiritual

Este temor não é o tipo de medo que um escravo sente de um senhor desumano, mas o respeito saudável do crente pelo Deus todo-poderoso que o ama e o libertou, I Pe.1:17. Não devemos pensar que a nossa condição privilegiada de filhos de Deus nos dê a liberdade para fazermos o que quisermos. Precisamos viver neste mundo com profundo temor na presença de nosso Deus, demonstrando-lhe respeito e reverência em todos os nossos atos. Precisamos viver com sobriedade, pureza, santidade e temor diante do nosso Deus, pois em tudo dependemos do Senhor, para que tenhamos uma vida tranquila, feliz e abençoada.

Pr. Advanir Alves Ferreira